JURI POPULAR: A Sociedade fez justiça, e mais um réu foi absolvido!


RÉU: Paulo Roberto Miranda dos Santos

ADVOGADOS DE DEFESA: Fabricio Ghil Frieber e Ezequiel Sampaio

MINISTÉRIO PÚBLICO: Dinalmari Mendonça Messias

M.M JUIZ: Otaviano Andrade de Souza Sobrinho

TESE DE ACUSAÇÃO: Em 29/03/2009, ao meio dia, ocorreu um homicídio na Rua Cristovão Colombo, no Bairro Pequi, a vítima foi Adeilton Costa Nascimento , conhecido como “Negão Flanelinha” que fora atingido por disparos de arma de fogo no abdômen. Denuncias anônimas, sem muito fundamento ou parceria com a verdade, tornaram Paulo Roberto Miranda o principal acusado de ser o autor dos disparos, em companhia de um menor de idade, Em detrimento das acusações Paulo Roberto foi chamado para depor, mas nenhuma prova contundente havia para incrimina-lo, apenas a tese de “Eu acho que foi ele” a partir de anônimos.

Com a palavra o representante do Ministério Público, Dinalmari Mendonça Messias, que ao mencionar o depoimento em Juízo de Paulo Roberto, fez uma pequena exposição dos fatos arrolados nos autos do processo, e em decorrência da ausência de provas, pediu ao corpo de jurados a absolvição de Paulo Roberto Miranda dos Santos.

TESE DE DEFESA (FABRICIO GHIL FRIEBER)

Com uma retórica de chamar atenção, e argumentos altamente preparados e convincentes o Drº Fabricio Frieber fez mais uma atuação com maestria, não com falácias, mas com provas, que Paulo Roberto jamais cometeu o homicídio. Antes disso, Paulo Roberto, sempre externou a sociedade que é uma pessoa de bem, e que jamais houve algo que pudesse denegrir sua honra diante da comunidade; noutra ponta, uma acusação tão pesada quanto homicídio traz um peso nas costas do “acusado” que faz com que o mesmo não tenha paz e almeje diariamente provar a sua inocência.

SENTENÇA:

Houve choro e comoção por parte dos familiares a amigos presentes após o Juiz Togado Otaviano de Souza Sobrinho anunciar que o júri considerou Paulo Roberto Miranda dos Santos, INOCENTE.

Alinne Werneck – Administradora de Empresas / Jornalista 

73 98161-7176





Comentários


Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio gratuito ou poste spam.